Vale a pena o sacrifício?

30 janeiro 2017



Você precisa de uma pessoa que fique, mesmo que você esteja dando todos os motivos para que ela se vá. Afinal, quem ama insiste; luta; aguenta; sofre; perdoa e até cansa, mas, não desiste nunca.

Esse pequeno trecho eu vi em uma postagem do Facebook de uma página que ironicamente chamava-se "Amor Recíproco". Fui olhar os comentários e milhares de pessoas achando lindo isso, marcando seus respectivos namorados(as) e amigos, agradecendo por nunca desistirem deles apesar de tudo o que eles fazem com essas pessoas.
Esse trecho não tem nada de lindo e maravilhoso, muito pelo contrário retrata um relacionamento abusivo de uma forma romantizada. "Ah Mandy, mas você tá muito cheia de mimimi, não vejo nada demais escrito aí, acho lindo o amor e como a pessoa luta por ele". Vou lhe mostrar como não é mimimi comentando cada parte do trecho com vocês.

"Você precisa de uma pessoa que fique."
Uma pessoa X tem um relacionamento com a pessoa Y, a princípio tudo vai muito bem até que surge a primeira briga, desentendimentos e a relação termina. Você pode pensar que X na primeira briga não "aguentou", achou mais fácil fugir daquele conflito do que querer conversar e tentar resolver. Por isso, acha que é lindo uma pessoa que apesar das dificuldades que todo casal passa, não foge, e, sim, tentam resolver juntos. Sim, eu também concordo que os problemas do casal tem que ser resolvidos e não serem ignorados e/ou fugir deles nas primeiras dificuldades.

"Afinal, quem ama insiste; luta; aguenta; sofre; perdoa e até cansa, mas, não desiste nunca."
Agora aqui nessa parte que mais especificamente entramos no quesito de uma relação abusiva. Quem ama perdoa? Sim, lógico, somos todos imperfeitos e sujeitos a falhas as vezes podemos fazer, sem perceber, algo que não agrade o outro e nos desculpamos e somos perdoados. Quem ama luta? Quem ama aguenta? Sim também, as vezes por ser um relacionamento que não é aceito pelos pais ou pela sociedade acaba gerando uma série de piadinhas maldosas que o casal, infelizmente, sofre e muita das vezes aguentam firmes, mas que isso não quer dizer que não reclamam por seus direitos. (e não digo nem só os homossexuais, mas como relacionamentos interracial ou pessoas magras e gordinhas). Quem ama não desiste nunca? Bom, só nesse caso que eu comentei a cima, que é algo totalmente diferente.
Voltando ao nosso exemplo do casal X e Y. Y era uma pessoa super amável quando eles se conheceram, falava todas as palavras bonitas para conquistar X e conseguiu, agora eles namoravam. Algum tempo depois de todo aquele encanto do relacionamento ter passado, X percebeu algumas coisas em Y que a desagradavam, porém, ela gostava tanto dele que decidiu que iria relevar tudo. Com o tempo, Y ia fazendo cada vez mais piadas e falando coisas para X na tentativa de inferiorizá-la em relação à ele, mas, ainda sim, ela era muito apaixonada e insistia naquela relação que não a fazia bem. Começou a criar em sua cabeça um relacionamento imaginário e era isso que falava à todos, que tudo ia muito bem, e, passou a acreditar e enxergar isso, mas não ia. X chorava no calado da noite e cada vez mais ia se afastando de pessoas que realmente se importavam com ela. Brigava com todos que falavam que Y era alguém que só a fazia mal, e, por isso, deveria terminar. X estava determinada a lutar pela relação, pois não desistiria nunca desse amor que só ela vivia.
Bom, acredito que esse pequeno textinho que fiz narrando bem resumidamente um relacionamento abusivo, não é algo que ninguém em sã consciência almeja conquistar. Relacionamento, principalmente o amoroso, como estava sendo tratado na página deve ser respeitoso. Você primeiramente tem que amar mais a si próprio do que a outra pessoa, tem que se respeitar. Não é porque você ama, que tem que insistir; lutar; aguentar; sofrer; cansar da relação, mas ainda sim continuar. A pessoa não é fraca por terminar ou "desistir" de algo que não a faz bem, por só ela ser a responsável por tentar continuar de todas as formas aquela relação fadada ao fracasso. Vamos parar de romantizar esse tipo de relação e buscar uma realmente recíproca, onde ambos se importam um com o outro e querem crescer juntos.

A mãe elefante é realmente vilã?

27 janeiro 2017


Alguns dias atrás vi várias pessoas indignadas compartilhando um vídeo onde uma elefante pisoteava seu filhote, as mensagens predominavam um ódio e a intitularam como "mãe cruel". O vídeo, publicado em 2003, ocorre em um zoo na China e mostra os veterinários acompanhando o caso. Na primeira tentativa de juntá-los, pensaram que ela feriu seu filhote por não ter visto, mas depois observam que suas agressões eram intencionais, e, rapidamente tiraram os dois de perto. O filhote, bastante machucado chora e o vídeo é realmente de cortar o coração. Quem quiser ver, vou deixar a matéria no final do post.
Em uma situação normal, no seu habitat natural, elefantes quando estão em perigo formam um círculo em que os mais fortes protegem os mais fracos. Eles também são muito ligados uns aos outros, e, parecem sofrer com a morte de um membro do grupo. Então, pode-se dizer que em uma situação normal, todos vivendo felizes e contentes não haveria esse ataque da mãe contra o seu filhote. Mas por que ela fez isso afinal de contas?
Nesse pequeno trailer do documentário "Blackfish: fúria animal" podemos perceber o quão perturbado fica o animal a ser retirado de seu habitat e ser colocado em um ambiente fechado. Imagine o quão estressante deve ser à eles perder sua liberdade, não poder se locomover a longas distâncias. Minha imaginação simplesmente não consegue nem chegar perto de como realmente deve ser o terror psicológico que esses animais sofrem nesses cativeiros.
Tem diversos vídeos bem tristes como esses que mostram como o animal vive num estresse surreal nesses zoo, parques aquáticos da vida. Então será mesmo que a mãe estava sendo cruel a ponto de tentar querer matar seu filhote? Em uma situação normal, com certeza ela não iria fazer isso. Mas imagine o estresse por qual ela passava naquela ocasião e/ou ainda passa? Ela não queria matar seu filho por pura crueldade, mas no auge do seu estresse deveria ter pensado que era melhor ver seu filho morto do que vê-lo sofrer como ela.
Pintura do navio negreiro na visão de Rugendas
Há relatos de que no navio negreiro de que muitas escravas grávidas ao darem à luz, atiravam seus filhos no mar. Elas acreditavam que era melhor ver seu filho morto do que já nascer sem sua liberdade, ser torturado por seus feitores ou até mesmo serem abusados pelos donos da fazenda.
O que eu quero dizer com isso? Bom gente, vamos ter bom senso e não sair espalhando besteira na internet. Uma mãe, na maioria das vezes, só vai agir de forma extrema quando não está bem, mentalmente falando, e achando que a melhor solução é esta. Vamos parar de ficar xingando a pobre elefante que ela é cruel, você e nem eu imaginamos o que ela passa, o que esses animais presos em cativeiro passam.

Fonte:

Tag: 8 coisas

25 janeiro 2017

Oi gente, eu fui indicada pela Jéssica do blog Modetizando Blog para responder a Tag: 8 coisas, é bom que vocês podem me conhecer um pouco mais, então vamos lá!


8 coisas pra fazer antes de morrer
 Abraçar o meu amor Neuer (já o vi pessoalmente quando visitei a seleção alemã no hotel durante a copa)
 Deixar de ter medo de insetos e alguns artrópodes, ou pelo menos diminuir mais.
 Ter meu momento Frozen e brincar na neve
 Conhecer a escola onde foi gravado o filme High School Musical (sim, eu tenho o endereço haha)
 Jogar basquete sem me machucar ao defender a cesta, pelo menos uma vez
 Fazer uma festa no Bus Party
 Ser reconhecida pelo meu trabalho e pela minha escrita
 Ir no deserto do Saara e andar em um camelo

8 coisas que amo
 Genética
 Lasanha, sim sou o Garfield versão feminina e humana haha
 Ler
 Patinar no gelo
 Malhar
 Escrever
 Cantarolar pelos cantos e achar que estou participando de um clip
 Dormir
Bônus: Rir (rio de tudo: felicidade, nervoso, medo, quando estou agitada)

8 coisas que não gosto
 Falsidade
 Injustiça
 Pessoas interesseiras
 Plágios (já fui muito paranóica com isso, a ponto de parar de publicar uma fic em um site porque pensava que podia ser plagiada a qualquer momento. Maaaaaaas, voltarei, logo)
 Chorar em público
 Pessoas que pensam que todos devem pensar igual
 Bife de fígado, ecati.
✿ Visita que chega na minha casa e pede pra prender meus cães (vou prender você, eles são meus filhos)

8 coisas que sempre falo
 Tô com fome
 Mamãe ama você Jade, Lucca, Kelvin e Nina (lê-se: meus dois cachorros e minhas duas calopsitas)
 Paulinha, lê o que eu escrevi? / Vê se esse post tá bom?
 Tô com sono
 Nossa, que caloooooooooor!
 Tô super empolgada! UHUUUL!
 Merda / Acho que fiz merda
 Arrasou! / Arrasei!

8 makes/roupas/acessórios que não vivo sem
 Tênis (amo usar tênis, foi muito difícil começar usar sandálias)
 Jaleco (no estágio obviamente haha)
 Relógio (não curtia muito antes, mas agora me sinto até estranha quando tô sem)
 Calça Jeans
 Short
 Blusas (principalmente regatas)
 Chinelo
 Xuxinha (pra quem não é do Rio, é o mesmo que prendedor de cabelos)

8 objetos que não vivo sem
✿ Minha agenda que virou caderno (gosto de anotar minhas ideias, o que eu já fiz no blog)
✿ Mochila (amo demais, principalmente pra ir pra faculdade ou trabalho)
✿ Lixa de unhas
✿ Lenço de papel pra limpar o óculos
Caderno (gosto de anotar algumas coisas importantes nas aulas e anotar tudo que eu faço no estágio)
✿ Agenda eletrônica (que na verdade são dois aplicativos que eu tenho no celular, um mais voltado aos estudos e o outro mais voltado pra afazeres de modo geral)
✿ Ar condicionado (no verão simplesmente não dá) 
✿ Pen Drive (tenho um só pra música, outro pra faculdade com milhares de artigos, livros e trabalhos que fiz)

8 filmes/séries/livros ou jogos que amo
✿ How I Met Your Mother
✿ Super Mario World (minha infância, primeiro jogo de vídeo game)
 Saga Crepúsculo
Livros do gênero policial, mistério, suspense (principalmente Agatha Christie, tô vendo e tô comprando)
 The Sims (gosto principalmente de construir e decorar casas)
 CSI, Criminal Mind, Lie to Me
 Criminal Case
 Como se fosse a primeira vez, Mamma Mia

8 blogs ou canais que indico pra fazer essa tag
 Divineta

DIY: Presente de dois anos de namoro

23 janeiro 2017

Sexta-feira passada, dia 20, eu e meu namorado fizemos dois anos juntos, que cute cute. Ok, parei. Desde nosso primeiro aniversário eu penso sempre em fazer algo diferente da maioria dos casais, algo só nosso. Busco fazer sempre uma temática diferente, estilo bodas de casamento mesmo, que cada ano é um tema diferente, e, esse ano eu resolvi que o presente teria uma temática musical.  E vou compartilhar um pouco do que eu preparei com vocês!

Playlist: Escolhi 24 músicas, uma para cada mês juntos, que foram escolhidas conforme cada situação que vivenciamos. Vou colocar apenas quatro delas aqui.

1. Luan Santana - Dia, lugar e hora
Lógico que teria música do meu mozão, e logo de cara é a primeira da lista haha. Essa música define muito bem o nosso namoro, conheci meu namorado no trabalho, perto da hora do almoço, quando nossos olhos se cruzaram sentimos uma conexão imediata e nos gostamos logo de cara.

2. Banda Tulipa - Só sei dançar com você
Não conhecia essa banda antes, mas durante a minha procura por músicas acabei achando. Resolvi escutar e nossa, me apaixonei no primeiro instante pelo clip, apesar de não ser oficial, e a música nem se fala né? É muito gostosa de se ouvir. Me lembrei muito de um dia que eu e o Daniel tínhamos ido à balada. Eu dançando horrores as músicas lá (sozinha), mas quando ele me chamava pra dançar com ele, me atrapalhava toda haha. Como logo no início fala sobre essa parte da menina se atrapalhando na dança, minha cara.

3. Maskavo - Um anjo do céu
Essa foi de um momento de nostalgia num embalo da minha infância, amo essa música, sério. Uma batida meio reggae e uma letra muito bonitinha.

4. Matheus & Kauan - Que sorte a nossa
Gosto muito do Matheus e Kauan e escolhe uma das música deles que estão na minha playlist pra postar aqui foi super difícil, não sabia qual colocar. Mas, acabei escolhendo essa já que combina super conosco. Afinal, amor é isso não? Tantos sorrisos e tantos olhares por aí e você só querendo o daquela pessoa específica.

Carta: Escrevi também uma carta, porque amo cartinhas, tem gente que me zoa com isso, mas é algo tão fofo que não rola não fazer. A carta foi basicamente um complemento da playlist, relembrei algumas coisas que aconteceram durante esses dois anos juntos, e usava a algumas frases ou títulos das músicas, de forma que tanto meu texto quanto a música se completavam.

Cupcake: Me arrisquei fazendo o meu primeiro cupcake que acabou virando um brownie, mas ficou gostoso hahahaha. Vou deixar o vídeo da receita abaixo.

Mandy.

ENEM - Exame Nacional do Ensino Médio

20 janeiro 2017

Esse ano eu tenho planos pro blog: colocar a minha licenciatura para trabalhar mais. E pensando nos vestibulandos de plantão resolvi ajudar vocês com tudo o que eu sei sobre o vestibular, como funciona, como é a prova e também ajudar aqueles que ainda não chegaram nessa etapa ainda. Antes de criar esse blog, eu tentei várias vezes fazer um especialmente voltado para biologia e provas de concursos, mas como eu disse no meu primeiro post eu não curto ficar presa exclusivamente à um único assunto, então não rolou. Vou postar sempre a cada duas semanas algumas questões de provas, desenvolver o raciocínio com vocês e tudo mais, vou dar dicas de prova e vai ter muita coisa super legal por aqui.
E o primeiro post desse projeto "Papo Nerd" vai ser sobre o ENEM, o Exame Nacional do Ensino Médio. Vou falar um pouco de como é a prova e o que eu penso dela.
Cadernos de prova do ENEM
O ENEM foi criado em 1998 com o objetivo inicial de avaliar como estava a educação básica das escolas públicas no Brasil. Contudo, porém, entretanto, em 2004 começou a mudança do exame passando a ser para aqueles que queriam bolsas do ProUni (Programa Universidade para Todos) para cursar alguma faculdade particular. Mas, foi apenas em 2009, que a prova passou a ser considerada totalmente mais um exame de vestibular, abrindo também a oportunidade para o aluno estudar em uma universidade pública.
Inicialmente a prova valia mais como um "bônus" na pontuação para algumas faculdades e para outras valia como o seu vestibular. Isso me marcou absurdamente. Em 2011 estava no meu terceiro ano do Ensino Médio, e, também estudando para o vestibular. Desde pequena eu já sabia qual faculdade eu queria estudar: UFRJ. Na época ainda existia o vestibular dela, que era maravilhoso, por sinal. Então eu estudava muito para apenas as específicas da minha área: Biologia, Química e Física e no colégio eu estudava razoavelmente as outras pra não me dar mal. Até que em julho foi anunciado que UFRJ iria aderir 100% o ENEM, veja bem, NA METADE DO ANO que isso foi avisado. Quem é vestibulando ou já foi um dia, sabe o quão importante é ter um bom cronograma para você estudar e se organizar. Também sabem que se algo muda de repente pode mexer muito com seu psicológico (que convenhamos, qualquer coisa mexe um pouco) e te deixar uma pilha de nervos. E foi assim que eu fiquei e consequentemente perdi o meu ano de vestibular, bastante ansiosa e desestabilizada. Obs: Tenho várias histórias de vestibular pra contar, mas fica para outro momento.

A prova: Ultimamente ela conta como o vestibular para todas as federais aqui do Rio, a UEZO (a única estadual do Rio que aceita), e algumas outras milhares de universidades pelo Brasil a fora. Ela é realizada em dois dias (sábado e domingo) às 13h, horário é ruim, eu sei bem disso, mas gente, pelo amor, NÃO SE ATRASEM! Ela é simplesmente a porta de ingresso pra quase todas as universidades públicas; se você não quer estudar numa pública devido às greves, é só através dessa prova que  irá conseguir arrumar uma bolsa legal pelo ProUni ou até mesmo tentar o FIES (falarei disso tudo em um outro post, esse já vai ficar gigante). Então, não vamos dar bobeira né? Ela tem uma importância gigante.

Dica pra vida: Uma dica que eu dou desde já pra quem vai fazer vestibular esse ano é: estudem, mas estudem desde já! "Ah Mandy, mas ainda é janeiro, deixa eu curtir." Quanto antes vocês começarem a estudar, melhor. A quantidade de conteúdo é extensa demais, vai ter momentos que você vai estar super empolgado estudando outros que você vai querer chutar o balde, cansado (geralmente acontece no meio do ano). Você pode falar que isso não vai acontecer com vocês, mas acredita em mim. Eu sei muito bem como é essa fase, fiz vestibular por 4 anos e super entendo como é esse misto de sensações e emoções que você possa sentir. Peguem as provas antigas e resolvam as questões. Vocês tem que conhecer como é a prova, não sejam doidos de chegar lá sem estar preparados com o tipo de questão que vocês irão encontrar. 

Obs.: Mesmo que eu não irei postar com tanta frequência sobre questões e tudo mais, podem me procurar e tirar dúvidas comigo. Se eu souber irei te responder e se não souber, irei estudar mais o assunto pra te ajudar também! Não fiquem tímidos, eu não mordo haha.


Beijos e até a próxima saga do vestibular.

[Teatro] Eu comigo mesmo - Rafael Portugal

18 janeiro 2017

Outro dia desses meu namorado estava super animado que tinha ganhado um par de ingressos em uma promoção da rádio Fanática FM (104,5) para assistir a peça do Rafael Portugal "eu comigo mesmo", uma peça de stand up comedy. Ficamos super animados e eu, ao mesmo tempo, fiquei um pouco nervosa. Já tínhamos ido em uma assim antes, sabia que eles iriam querer mexer com alguém da platéia e só de pensar nisso já ficava super nervosa. Mas como diz meu querido Barney "challenge accepted" (desafio aceito), fui lá numa boa, e ainda ficamos nas primeiras fileiras haha.
Ingressos da peça Eu comigo mesmo do Rafael Portugal
A peça é no Teatro dos Grandes Atores no Barra Square, nunca tínhamos ido nesse shopping antes, mas até que é bem legal, o teatro é pequeno, mas muito aconchegante. Eu comigo mesmo tem duas partes. A primeira ele sem os personagens falando com a gente, contando piadas e tal e a segunda são os personagens. Foi a segunda peça de stand up que eu fui, mas a primeira que eu gostei muito! É impossível você não rir de nada, Rafael, que atualmente faz parte do Porta dos Fundos, é muito engraçado no seu jeito de contar histórias do cotidiano.

Sobre os personagens:
O primeiro é um funkeiro que trabalha como ambulante vendendo doces, algo super comum por aqui no Rio. Ele é bem sincero, daquele tipo que se vai vender bala pra uma pessoa que está com bafo ele pregunta se ela está namorando com um zumbi. Já o segundo é um musicista, coreógrafo, bailarino e tudo mais. Ele convida alguém pra ir subir ao palco e compôr com ele uma música, ele vai cantando algumas frases aleatórias que vem na cabeça dele e faz uma pausa pra pessoa dizer a primeira palavra que veio na cabeça. Fica muito engraçado a música, algo super diferente e original. Depois ele vai cantando alguns funks transformando-os em MPB, resumindo, é ótimo.

Lembra que eu disse que fiquei um tanto que tensa porque sabia que ele iria querer brincar com alguém da platéia? Então, ele te distrai de um jeito que toda aquela minha tensão de "não quero ser chamada" passou e eu simplesmente foquei toda minha atenção nas piadas. E as piadas? bom, elas são super leves, quase não tem palavrão na peça e não ofende ninguém, no sentido de crença ou descrença, time, etc.
Foto do instagram @RafaelPortugaloficial peça do dia 13/1
Se você teve um dia ruim, e está precisando dar umas boas risadas fatalmente irá curtir a peça! Rafael é um cara super gente boa e com certeza vai te fazer dar várias gargalhadas. Recomendadíssimo!

Mandy.

Selfie com o Rafael Portugal

[Série] Black Mirror - Charlie Brooker

16 janeiro 2017


Nome: Black Mirror
Autor(a): Charlie Brooker
Data de lançamento: 4 de dezembro de 2011
Gênero: Drama, Ficção Científica, Suspense e Mistério
Duração: 44 - 84 min
Distribuidor: Netflix
Temporadas disponíveis:  3
Situação: Em andamento
País de origem: Inglaterra
Trailer da série: O vídeo abaixo já é o trailer da 3ª temporada, mas quem ainda não começou a assistir, não fique com medo, não tem spoiler nenhum, pode assistir.

Comentários: Como eu comecei assistir essa série um tanto quanto tarde, vou abordar de modo bem amplo as três temporadas. A série é totalmente diferente do que a maioria está acostumado, em diversos fatores. A começar que cada episódio é independente do outro, o elenco; o lugar; a história; são todos diferentes, é como se fossem vários mini-filmes que foram unidos por no fundo possuírem a mesma mensagem "o quanto as novas tecnologias podem influenciar a vida das pessoas". O autor explica que o título da série vem do pressuposto que se a tecnologia é uma droga, quais seriam os efeitos colaterais que poderiam causar nas pessoas? E foi através dessa "dúvida" que ele quis aprofundar mais esse assunto, até que ponto a apreciação das pessoas poderia gerar um desconforto em suas vidas? Qual seria o seu extremo? E é isso que o Black Mirror aborda, esse "Espelho Negro", na tradução literal.
O logo no primeiro episódio da primeira temporada você já sente o impacto que ela quer causar aos seus telespectadores. O primeiro-ministro do Reino Unido precisa tomar uma decisão muito importante contra o relógio: atender a um pedido sádico dos sequestradores em troca de salvar a vida da princesa Susannah. A mensagem é bastante forte e eu fiquei refletindo bastante na seguinte pergunta "até que ponto você iria pra salvar a vida de alguém?" Esse episódio logo de cara já mostrou como seria o estilo da série, que faz você refletir bastante em cada capítulo novo.
A série possui certo caráter futurista, alguns mais e outros menos, assim como alguns episódios podem ser considerados bem "pesados" e outros nem tanto. Porém, todos, sem exceção, vão mexer com você de alguma maneira que passará a enxergar o mundo de outra forma. Confesso que a minha demora para resolver assistir a série tem a ver com o medo que eu tinha dela, o que ela poderia me causar. Muitas pessoas já me falaram que ficaram um tanto que perturbadas quando assistiram e eu não queria isso pra mim. Mas conversando com algumas pessoas, principalmente meu pai, a minha curiosidade me venceu e comecei a ver. A série dá medo? Em alguns episódios, talvez um pouco. Não é aquele medo de que você sente assistindo um filme de terror horripilante, mas um medo diferente. É um medo de como a tecnologia influencia a sua vida de tal ponto que você nem percebe, fica tão obcecado por algo que 'não existe' que acaba se perdendo do mundo real, isso é muito bem abordado no primeiro episódio da terceira temporada.

Aconselharia assistir a série? Sim.


Mandy

[Livro] Mau Começo - Lemony Snicket

13 janeiro 2017

Nome do livro: Mau Começo
Autor(a): Lemony Snicket
Editora: Companhia das Letras
Número de páginas: 152
Comentários: Mau Começo é o primeiro livro dessa série que conta a história dos três órfãos Baudelaire. Violet, a irmã mais velha de 14 anos e uma grande inventora; Klaus, um menino que é apaixonado pela literatura e Sunny, a caçula. Apesar de ser uma série do gênero juvenil, eu não conhecia e muito menos sabia que existia um filme deles (me julguem), só descobri por causa da nova série da Netflix que foi lançada hoje e eu estou super empolgada pra ver!
Os irmãos Baudelaire levavam uma vida boa ao lado de sua família, mas logo no início do livro seus pais sofrem um estranho e terrível acidente, os deixando órfãos, e, assim, começa as suas desaventuras, seus azares. Sr. Poe, um amigo da família e o responsável por cuidar da herança dos Baudelaire, havia sido encarregado de dar a terrível notícia aos irmãos e de abrigá-los em sua casa. As crianças ficaram pouco tempo até que ele encontrou um parente distante dos órfãos, que morava no outro lado da cidade, chamado Conde Olaf. Como era desejo dos pais que os seus filhos fossem criados por parentes e Olaf era o que morava mais perto, achou que seria o responsável ideal para os três.
Assim que chegam na nova vizinhança se deparam com a casa mais linda do quarteirão, super bem cuidada, com um jardim lindo e logo se encantaram pela nova casa. Como esses três não são tão sortudos assim, rapidamente acabam descobrindo que na verdade, aquela era a casa da Juíza Strauss. Sua nova casa na verdade era ao lado, um local totalmente mal conservado e imundo. Seu novo pai, Conde Olaf, também não ficava por trás, um senhor com uma aparência totalmente estranha e nada amigável, a quem acaba se tornando o seu arquiinimigo.

Aconselharia a leitura do livro? Sim

Resenha dos livros de Desaventuras em Série:
1. Mau Começo

[Livro] O misterioso caso de Styles - Agatha Christie

11 janeiro 2017


Nome do livro: O misterioso caso de Styles
Autor(a): Agatha Christie
Editora: Record
Número de páginas: 160
Comentários: Esse livro foi o primeiro que a Agatha escreveu após ser desafiada pela irmã a escrever um romance, escrito próximo do final da  Primeira Guerra Mundial, com isso você pode se situar de qual guerra que eles tanto estão falando ao longo do livro.
A história acontece em Styles e é narrada por Mr. Hastings, um velho amigo da família que irá visitá-los e acaba presenciando um terrível assassinato ou seria suicídio da Mrs. Emily Inglethorp? Emily, era uma mulher muito importante que assumiu a herança e os cuidados dos filhos ainda pequenos do seu falecido marido, sempre fazendo trabalhos de caridade, tornou-se ainda mais próspera. O tempo passou e ela casou-se com Mr. Alfred Inglethorp, um homem a quem Miss Evelyn Howard vivia implicando e falando o quão terrível ele era para Emily.
Como ele foi o segundo livro dela que eu li, achei que já estaria mais malandra para desvendar quem seria o assassino. Afinal, já sabia que ela iria tentar te enrolar com várias provas ao longo da história, abrindo o leque de assassinos, de forma que você acaba ficando cada vez mais na dúvida, pois, qualquer um acaba se incriminando. Contudo, essa história, esse caso, se demonstra óbvio desde o seu começo. Porque como o detetive, mais querido do universo, Hercule Poirot diz: a pessoa queria se autoincriminar para que fosse julgada, e, por não haver provas contra ela, seria inocentada.
O livro é muito interessante e recheado de reviravoltas e suspense. Apesar de eu ter me achado expert em Agatha, não fui tanto assim. Desconfiei do assassino, porém, depois de um tempo lendo eu me deixei levar na história, e, a Agatha me venceu, conseguindo concluir o seu objetivo: deixar o leitor pensando que qualquer um podia ser o assassino. O livro é maravilhoso e me surpreendeu muito o seu final.
Aconselharia a leitura do livro? Sim
Observação: Descobri também que essa obra tem um filme, ainda não pude ver porque não achei nenhum com uma qualidade decente no youtube (o único lugar que consegui encontrar). 

Resenha dos casos de Hercule Poirot
1. O misterioso caso de Styles


Mandy.

Por que cebola nos faz chorar?

09 janeiro 2017

Todos sabem o quão pode ser ruim cortar cebolas ou estar perto de alguém fazendo isso, esse incomodo pode ser algo fraco ou até mesmo irritar bastante seus olhos e você não conseguir mantê-los abertos por muito tempo. Mas você sabe o motivo que causa essa irritação neles?
Isso acontece devido à liberação de um gás chamado sulfóxido de tiopropanal (C3H6OS) que só é formado quando cortamos a cebola. A sua formação é feita a partir de uma reação química durante o rompimento da parede vegetal da cebola, de modo que duas substâncias presentes na célula da vegetal acabam se misturando.

Existe algum método para evitar que isso aconteça? Citarei apenas dois métodos que eu vi na internet e deram certo.

1. Usar óculos de mergulho
Se quando usamos para dar um mergulho ele evita que ocorra a entrada de água, então, pela lógica, também evitaria a passagem do gás, caso esteja bem firme.
2. Ventilador
Colocar o ventilador na direção em que você está cortando a cebola faz com que o vento carregue as partículas para longe do seu rosto, deixando seus olhos livres do incomodo.


No vídeo abaixo tem outros métodos que foram testados e mostra quais deram mais certos ou não. 


Mandy.

O experimento da mensagem secreta.

06 janeiro 2017

Não tenho mais fotos do meu diário, mas quando criança, costumava escrever algo assim também e tentava ocupar todas as linhas do caderninho.
Os diários, geralmente, fazem mais sucesso entre crianças que sempre procuram jeitos mirabolantes de escondê-los de todos. No caso de meninas o motivo mais comum era esconder das amigas, dos pais ou quem quer que seja para não descobrir a sua paixão secreta, o que era o meu caso.
No período passado na faculdade, eu tive minha primeira aula no CAP-UERJ de uma matéria chamada "as ciências do cotidiano escolar". A gente aprendia alguns métodos que nos auxiliaria a desenvolver a didática para conseguir ensinar determinadas matérias para nossos futuros alunos. E uma dessas aulas a professora nos passou um experimento chamado "mensagem secreta" fatalmente lembrei da minha infância e a minha luta para criar códigos, arrumar esconderijos para esconder meu diário.

Materiais e métodos:
  • 1 Limão
  • Copo
  • Faca
  • Palito
  • Folha de Papel
  • Uma fonte de calor (fogo, secador, microondas, ferro de passar roupa,...)
Divida o limão ao meio, esprema e despeje o seu sumo em um copo. Após isso, pegue um palito molhe sua ponta no líquido, escreva sua mensagem secreta no papel e deixe secar para que fique completamente invisível. Feito isto, mande sua mensagem à quem você tiver interesse e peça a pessoa para aquecer o papel para poder enxergar o conteúdo secreto. 
Participação especial da minha irmã fazendo a carinha na folha e minha tentativa de escrever "Feliz ano novo" que não deu muito certo.
Apesar de não ter dado muito certo, vamos fingir que foi proposital pra mostrar que não deve encostar o papel tão perto do fogo, evitando a sua queima e perda da mensagem. Fiz com o fogo por achar ser muito mais interessante do que os outros métodos, mas vocês podem tentar com os outros que farão sem dúvida menos sujeira haha.
Mas Mandy, por que isso acontece?
O limão possui uma substância química chamada de ácido cítrico (C6H8O7), quando aquecido sofre uma reação de oxidação gerando como produto dióxido de carbono e água. A água é liberada e a coloração que permanece no papel é de uma coloração parda, cor de café devido à queima.

Curiosidade a parte:
Esse tipo de mensagem secreta utilizando tintas invisíveis foi muito comum durante a Segunda Guerra Mundial. O nome da arte de fazer essas mensagens secretas se chama esteganografia, que consiste em basicamente escrever a mensagem ocultando o conteúdo para que ninguém saiba que ela exista. Enquanto que a criptografia é quando a mensagem mesmo se for interceptada por terceiros, eles saberão a existência dela, mas somente o remetente saberá qual é o código para decifrá-la, ao contrário da esteganografia que é algo mais simples. Contudo, ambas juntas consistem numa poderosa ferramenta para os agentes secretos, terroristas e espiões de todos os níveis.

Mandy.

Saiba mais:
Esteganografia, a arte de escrever mensagens ocultas.
Esteganografia - UFRJ

Obs: No último link citado, tem vários artigos interessantes para ler mais sobre essa arte milenar.

[Livro] A seleção - Kiera Cass

04 janeiro 2017


Nome do livro: A seleção
Autor(a): Kiera Cass
Editora: Seguinte
Número de páginas: 368
Comentários: A história acontece em uma determinada época em que o antigo Estados Unidos, tornou-se o Estado Americano da China, passando a se chamar recentemente de Illéa. É um país recente e monárquico, que constitui uma sociedade divida em castas, sendo a casta 1 pertencente aos nobres e ao clero e a casta oito, a última, pertencente às pessoas com deficiências (especialmente àquelas que foram desamparadas), viciados, fugitivos e os sem-tetos.
America Singer, a narradora do livro é uma jovem da casta 5, a qual pertence aos artistas. Ela é completamente apaixonada por Aspen, um rapaz da casta 6. Os dois vivem num romance proibido à 2 anos, e, sua mãe jamais permitiria um namoro com alguém da casta inferior. Mesmo namorando escondidos, ambos fazem planos de se casarem um dia, América, por exemplo, sempre que pode guarda alguma quantia para que isso possa ocorrer. Contudo, Aspen, sempre é apreensível quanto ao futuro de sua namorada, pois descer uma casta significava ter condições de vida mais precária, o que América não estava tão acostumada, apesar de nunca ter passado fome.
Quando é anunciado o concurso para as moças de Illéa com idades entre 16 e 20 anos, sua mãe fica completamente animada ao saber que sua filha poderá ter a chance de conquistar uma vida melhor e a suplica para preencher o formulário de inscrição do processo seletivo. Ela, porém, reluta a preencher o formulário, por dois motivos: é contra o processo por achar que é um tipo de divertimento barato da realeza para com seu povo, e, principalmente o maior motivo de todos: a possível chance de perder o seu grande amor, e, ser obrigada a se casar com alguém que não ama.
Contudo, seu namorado a convence de que deveria apenas se inscrever porque mesmo que não fosse sorteada, saberia que pelo menos não a impediu de ter uma oportunidade para uma vida melhor. E para a alegria de sua mãe, ela se inscreve no processo seletivo. E para sua tristeza, ou não, acaba sendo uma das 35 escolhidas a participar da Seleção e irá morar no palácio. Com o tempo, ela descobre que o principe não era nada daquilo que ela imaginava, muito pelo contrário, ele era muito gentil e era uma companhia bastante agradável.

Confesso que esse livro não é daqueles que te deixam instigados e com muita vontade de ler só pela capa, apesar de ser bonitinha e ter um auto-relevo no título. Eu ganhei de presente de aniversário no ano passado, de uma amiga da minha irmã, e, simplesmente amei. Como eu estou muito voltada mais para romances policiais, resolvi que mudar de gênero seria algo legal, foi ótimo. O livro é muito bem escrito, é uma história que te prende sem dúvidas recheada de ação. Ele lembra de uma certa maneira a saga de Jogos Vorazes, como por exemplo: ambos possuem pessoas que são escolhidas de cada distrito do país para um reality show, o qual se baseia em uma competição de quem irá ganhar o prêmio, sendo o Jogos Vorazes a luta é pela vida, já a Seleção é pela coroa. 
Aconselharia a leitura do livro? Sim!

Observação: Eu vi também que iriam fazer uma série dessa saga, mas pelo episódio piloto que eu vi, ainda bem que não foi muito para frente, os personagens eram todos diferentes do livro. A personagem principal no livro é ruiva, na série seria loira. O príncipe Maxon, é todo amorzinho e tímido, e, na série seria totalmente o contrário. Quem quiser assistir, o vídeo é esse abaixo.
Mas, apesar da série não ter tido muito sucesso, já foi confirmado a produção do filme da saga, porém, ainda não tem data de lançamento. Quanto for divulgado eu aviso aqui!


Mandy.

Faixa de cabelo: prejudicial ou não aos bebês?

02 janeiro 2017

Bebês são muito engraçadinhos e sempre queremos fazê-los sorrir, quando esbarramos com algum na rua, que fica nos encarando. E essas faixas de cabelo que as meninas usam é cada uma mais bonita que a outra, porém, o que muitos não sabem é que apesar de serem bonitas, elas podem ser prejudiciais à saúde dessas menininhas.
Uma certa postagem no facebook do osteopata José Eduardo Souza, acabou viralizando, gerando um certo alvoroço entre as mães. Ele comentou que recebeu no seu consultório uma menina que sofria com refluxo gastroesofágico e insônia e esses sintomas foram relacionados por ele ao uso de uma faixa de cabelo que apertava sua cabeça.
No texto, compartilhado por ele, é dito que a faixa de cabelo é capaz de comprimir a sutura occiptomastóide, que é o ponto de união de um osso com o outro.  E que além disso, também pode apertar o nervo vago, o qual se localiza em uma porção mais interna da nuca, e, que comanda o sistema gastrointestinal, alterando suas funções. E é devido à isto que a menininha estaria com refluxo. Segundo o relato do osteopata, no terceiro dia após suspender o uso da faixa, já houve melhora dos sintomas. Ele ressalta também que o tratamento com o osteopata não exclui o acompanhamento de um pediatra.
Já a pediatra Flávia Oliveira, acredita  ser improvável que a causa do refluxo da criança seja atribuída ao uso da faixa de cabelo. Sustentando seu argumento com o fato de que até o sexto mês, a maioria dos bebês tem um refluxo fisiológico, devido à uma imaturidade do sistema digestivo. Sendo assim, só é desconfiado que o refluxo seja patológico quando o bebê para de ganhar peso mesmo mamando bem e está com muita irritabilidade.
A também pediatra, Camila Reibscheid, complementou dizendo que não há estudos suficientes para correlacionar o problema ao uso da faixa. Contudo, ela enfatiza que é bom tomar muito cuidado, pois tem gente que coloca a faixa muito apertada na criança, deixando-a irritada, incomodada, e,  isso acaba prejudicando seu sono. As pediatras também recomendam que se a criança chorar, ficar irritada ou tentar arrancar o enfeite, deve-se retirá-lo imediatamente.


Mandy.

Fonte:
Revista Crescer
© Copyright DE LOUCOS TODOS SOMOS UM POUCO | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
Designer e programação por: DRÊ DESIGN.
imagem-logo